Exemplos de Vida – Guias para a vida espiritual

Youtube: Por que sou católico? – Guilherme Freire

Youtube: Pastor Anti-Católico que Descobriu a Igreja Verdadeira Fundada por Cristo – Prof. Eduardo Faria

Youtube: Ex-Satanista – Testemunho de Zachary King – Instituto Hesed

Youtube: Uma santa que alcança graças extraordinárias. Santa Míriam de Jesus Crucificado – Instituto Hesed

Youtube: Do guru a Jesus – Testemunho de conversão – Padre Joseph-Marie Verlinde

Youtube: Do Candomblé ao Sacerdócio, testemunho impactante de conversão – Padre Douglas Pinheiro – SantoFlow Podcast

Youtube: O que você vai buscar na maçonaria que você deveria estar encontrando na tua igreja? – Padre Douglas Pinheiro – SantoFlow Podcast

Youtube: O demônio pediria penitência a uma pessoa? – Padre Douglas Pinheiro – SantoFlow Podcast

Youtube: Um Retrato De Teresa – A História de Santa Teresinha do Menino Jesus – Original Lumine – Lumine

Glória Polo

Como a vida de São Bruno mudou com o sermão feito por um morto

Aposta de Pascal

A Aposta de Pascal é uma proposta argumentativa criada pelo filósofo, matemático e físico francês do século XVII Blaise Pascal.

A Aposta postula que há mais a ser ganho pela suposição da existência de Deus do que pela não existência de Deus, que uma pessoa racional deveria viver sua vida de acordo com a perspectiva de que Deus existe, mesmo que fosse impossível para a razão nos afirmar tal coisa.

O argumento resume-se ao seguinte:

  • se eu acreditar em Deus e estiver certo, meu ganho será infinito;
  • se eu acreditar em Deus mas estiver errado, minha perda será finita;
  • se eu não acreditar em Deus e estiver certo, meu ganho será finito;
  • se eu não acreditar em Deus mas estiver errado, minha perda será infinita.

Portanto, a melhor escolha racional é acreditar em Deus.

Louis Pasteur e o estudante ateu

Essa história aconteceu com Louis Pasteur, famoso biólogo e químico francês do século XIX, inventor da pasteurização.

Um estudante da Universidade de Paris entrou num trem e, vendo um senhor rezando o terço, disse-lhe que deveria deixar de acreditar “nessas velharias”, pois a ciência moderna já não precisava dessas ficções religiosas.
O estudante também perguntou ao senhor se ele já ouvira falar na ciência moderna. Com muita simplicidade, Pasteur respondeu que sim.
Quando o estudante lhe perguntou como se chamava, ouviu dele: Louis Pasteur. O jovem então pediu desculpas e, respeitando a oração do grande cientista, ficou calado até o fim da viagem.